Descubra quais os tipos de clareamentos dentais que existem e qual o melhor para você

Além de deixar o sorriso mais bonito e harmônico, o clareamento dental é um procedimento totalmente não invasivo e que tem um preço cada vez mais acessível. 

Todas essas características fazem do clareamento um dos procedimentos estéticos mais procurados em todo o país.

Essa intervenção cosmética tem como objetivo principal recuperar a tonalidade e o brilho original dos dentes, uma vez que, com o tempo e com o consumo de alimentos muito pigmentados, o esmalte dentário tende a adquirir uma cor amarelada que desagrada muitos pacientes.  

Assim, por meio da aplicação de um gel clareador à base de peróxido de hidrogênio ou de carbamida, o dentista irá quebrar o acúmulo de moléculas de pigmento sem comprometer a saúde ou integridade da sua camada de proteção dental.

Esse processo pode ser efetuado de diferentes maneiras, de acordo com as necessidades e especificidades de cada quadro clínico. Quer saber mais sobre as técnicas e os seus benefícios? Prossiga na leitura do artigo que explicaremos mais sobre o tema.

Clareamento dental

Os tipos mais realizados de clareamento dental

Muitos pacientes já chegam nos consultórios odontológicos querendo obter informações como aparelho de porcelana preço e quanto custa um clareamento dental. No entanto, os valores e a durabilidade de cada procedimento variam de acordo com as técnicas que precisam ser utilizadas.

A escolha de qual a melhor opção para cada pessoa deve ser feita pelo cirurgião-dentista, já que quem tem uma gengiva mais sensível pode precisar de uma supervisão médica intensificada.

Mas, essa decisão também leva em consideração a opção mais economicamente viável para o paciente e a rapidez com que essa pessoa precisa (ou deseja) ter os resultados. Entre os tipos de técnicas mais conhecidos, temos:

  1. Domiciliar

Esse é o método mais econômico e cujo efeito possui a maior duração, pois é a técnica mais longa, fazendo com que o dente fique em contato com o agente branqueador por mais tempo. 

Assim, o gel consegue infiltrar nas camadas mais internas, deixando o sorriso ainda mais branco.  

Deste modo, com o auxílio de uma moldeira de silicone feita sob medida, o próprio paciente aplicará o produto químico – disponibilizado pelo dentista – nos dentes. 

Esse processo deve se repetir todos os dias, por um período que pode variar entre 30 minutos a uma hora, por três semanas.

Ao fim de cada semana, o dentista pode pedir uma consulta para a avaliação dos progressos e da saúde das gengivas – uma vez que esses produtos podem causar irritação ou inflamação se a aplicação não for feita corretamente.

  1. Em consultório

O clareamento dental, assim como o aparelho dental transparente feito em consultório, é geralmente recomendado para os pacientes que têm uma facilidade maior de ter sangramentos gengivais ou que precisem dos resultados de forma mais imediata.

Esse é também um dos métodos mais seguros, pois ainda que seja utilizado o gel com concentrações mais intensificadas, o médico coloca uma proteção na região gengival para impedir o seu contato com o peróxido de hidrogênio.

Neste caso, o clareador é ativado com a luz ultravioleta, os lasers terapêuticos ou a luz de LED por, ao menos, uma hora. 

Todo o tratamento é concluído em apenas três sessões e, devido às tecnologias aplicadas, é uma técnica mais cara do que as demais.   

  1. Tratamento combinado

Como diz o nome, o clareamento combinado é a junção das duas técnicas anteriores, sendo que o processo é iniciado em consultório – principalmente para a obtenção de resultados imediatos – e é terminado em casa, pelo paciente.

Assim, é possível garantir um sorriso mais brilhoso de maneira instantânea, ao mesmo tempo em que se garante a durabilidade dos efeitos por meio da exposição prolongada ao gel.  

Recomendações e contraindicações

Infelizmente não são todos os pacientes que podem recorrer a esse tratamento sem considerar as opções adequadamente para deixar o sorriso ainda mais radiante. 

Dentre as pessoas que precisam evitar esse tipo de intervenção estética são:

  • Menores de 16 anos;
  • Gestantes;
  • Lactantes;
  • Que sofrem com a sensibilidade dentária aguda;
  • Que tenham utilizado medicamentos à base de tetraciclina.

Além disso, as pessoas que realizaram procedimentos e comparam resultados como as facetas de porcelana antes e depois precisam ter atenção ao realizar a intervenção de clareamento, pois ela irá alterar apenas a cor dos dentes naturais. 

Desta forma, as coroas implantadas ficarão com uma cor diferente do resto da arcada se não houver a devida manutenção ou cuidado com essa peça.

Neste caso, é necessário fazer o clareamento antes da cirurgia do implante ou realizar a confecção de uma nova prótese, cuja tonalidade da porcelana se encaixe com a nova coloração dos dentes.

Já os pacientes que desejam colocar a facetas de porcelana em dentes tortos devem concluir o clareamento antes da aplicação das facetas de porcelana. 

Isso porque, além de não ser possível fazê-lo após a cimentação das lentes, ter os dentes mais brancos com antecedência pode fazer o resultado final ainda mais agradável, harmonizando a cor da face com a do clareamento.

Muitas pessoas que utilizam o aparelho ortodôntico fixo desenvolvem problemas com a coloração dos dentes durante o tratamento. Nesse caso, é necessário esperar até a remoção do acessório para clarear o sorriso.

No entanto, quem tem o aparelho dentario invisivel móvel ou o lingual pode combinar ambos os procedimentos sem problemas, desde que as devidas atenções sejam tomadas.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

You Might Also Like
Deixe uma resposta